O setor de saúde lida com o processo da doença e vida humana, mas também com uma melhor qualidade de vida das pessoas e dos pacientes. Nessa lógica, o setor de saúde possui diversas regulamentações, protocolos, legislações e código de ética. É importante ter um conhecimento destas regulamentações antes de iniciar um projeto – no Brasil, por exemplo, é ilegal fazer marketing de médicos em anúncios. Ao mesmo tempo, as transformações tecnológicas e de modelo de negócio caminham muito mais rápido que a legislação e precisamos encontrar um ponto em que o aspecto ético coexista com inovações e soluções que possam realmente transformar e impactar positivamente as pessoas. Nesse sentido, o empreendedorismo possibilita identificar oportunidades e desenvolver modelos de negócio a fim de resolver problemas reais e que atendam o maior número de pacientes.

Mesmo com a evolução proporcionada a partir da pandemia, o setor da saúde apresenta um gritante atraso tecnológico. É dito que a capacidade computacional está 20 anos atrasada na área de saúde, sendo esta uma das razões que torna a gestão de clínicas, hospitais e sistemas como o SUS tão complicados. A negligência que o setor tem na capacidade administrativa, processual e operacional fere não somente o fluxo de pacientes e o orçamento, mas a relação médico-paciente, criando um sistema sobrecarregado e frágil. Por um lado, temos um atraso tecnológico e uma sobrecarga do sistema. Por outro, temos a população demandando por melhoria na condição de saúde, colocando-o como uma das prioridades de aquisição para a família. Frequentemente ouvimos das filas quilométricas, médicos apáticos e demora de meses para agendar uma consulta. E isto infelizmente não se aplica somente ao SUS, mas à maioria dos hospitais particulares também. Por que na saúde é diferente? Por esta e outras razões, é dito que a saúde está quebrada e doente. E, por isso, temos muitas oportunidades.

É importante salientar que muitos dos produtos ou processos no mercado são resultados da relação médico-paciente, focando-se muito na otimização e mecanização. Atente-se a este fato pois, além de ser considerado desumano, cria maiores resistências na adoção de soluções de inovação pelos médicos. A saúde frequentemente está associada a grande carga emocional e esquecer-se disso é simplesmente cegar-se do que ela é. Apesar de todos os obstáculos, é uma das áreas que propicia maiores satisfações e realmente se vê o impacto e a diferença que você faz na vida das pessoas e é extremamente gratificante conseguir trazer uma melhor qualidade de vida para a pessoa, família, amigos e sociedade.

Pode-se dizer que a abertura de um consultório tem muito a ver com a visão de oportunidade para negócio. No caso de um novo médico, a oportunidade gira em torno de criar uma base de pacientes.  Já para um médico, que  esteja  estabelecido  na  profissão, tudo gira em torno de refinar sua proposta de valor ao longo do tempo, a qual implica em manter seus pacientes, valendo-se de sua crescente experiência. Contudo, empreendedorismo é mais do que abrir um consultório ou mesmo uma clínica.

Empreendedorismo envolve resolver um problema real por meio de uma solução que influencie na mudança do ambiente econômico, social, político e que, mesmo implicitamente, esteja sujeita a riscos. Nesse sentido, o primeiro foco na atividade empreendedora deve ser no problema e na persona, isto é, o sujeito ou grupo de indivíduos que lidam com essa dificuldade. Muitas vezes já inicia-se de maneira equivocada ao focar em uma solução que, em princípio, poderia ser plenamente viável, porém pode não atender aos anseios da persona e resolver efetivamente o sue problema. Por exemplo, podemos desenhar uma solução que utilizei de uma esteira automática e constante para transporte de pacientes entre as alas de um hospital, porém pode ser mencionado que o maior problema não é o transporte do paciente, mas sim a acomodação dos pacientes em diferentes modalidades de leitos como UTI, emergência e internação.

Após a compreensão plena do problema, outra etapa importante é identificar os atributos de valor, isto é, a percepção de valor efetiva a partir dessa situação. Muitas vezes desenhamos propostas que abrangem uma gama de atributos, mas para fins de validação, ou seja, testes com os envolvidos no problema, bastaria um atributo mais simples. Por exemplo, podemos desenhar uma maca com vários atributos como controle de temperatura, possibilidade de intercomunicação online, auto-limpante, mas o atributo mais importante seria apenas que fosse reclinável.

Dentro dessa lógica, torna-se fundamental validar não somente o problema assim como a solução. Qual a melhor forma? “Get out of the Building”. Em tradução literal, saia de dentro do prédio, assim como de trás da mesa ou mesmo da cadeira. Aprenda a conhecer o problema efetivamente lidando com ele por meio de uma pesquisa de campo. Entreviste as personas, conheça as dificuldades e oportunidades, os limitantes para soluções já testadas e atente para os atributos de valor.

Sobre atributos de valor, é importante compreender a percepção de valor dos envolvidos. O que realmente valoriza, se estaria disposto a pagar por uma solução e o quanto estaria disposto a pagar? Essas perguntas são indicativos da viabilidade da solução, principalmente em termos técnicos e financeiros. Por exemplo, de nada adianta os envolvidos dizerem que a maca reclinável seria perfeita, mas exigirem que ela seja feita a partir de fibra de carbono que é mais leve. Por um lado, seria uma melhoria relevante, mas e se disserem que estão dispostos a pagar pouco a mais do que o custo da maca comum? Nesse caso, não existe uma percepção de valor suficiente que possa gerar valor por meio da solução proposta, entregar valor aos envolvidos e que possibilite a você capturar parte desse valor, em termos financeiros.

Esse é apenas um exemplo para a compreensão de como podemos modelar negócios, empreendendo na área da saúde. São inúmeras oportunidades, porém a grande dificuldade é associar o conhecimento técnico, muito específico, com práticas de gestão e outras competências. Pela área da saúde ser extremamente especializada, cada vez mais urge que ocorra uma aproximação multidisciplinar entre diferentes áreas a fim de fomentar práticas de empreendedorismo. Por fim, destacamos algumas características que diferenciam os empreendedores de sucesso dos demais.

Fontes:

http://www.genomicenterprise.com/yahoo_site_admin/assets/docs/ebook-empreendedorismo_-_DataGenno.16991312.pdf

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/mg?codUf=14

http://hidoctor.com.br/p/montar-consultorio-medico/822799/como+medicos+podem+ser+empreendedores.htm