Muitas vezes, quem está prestes a se consultar não faz ideia de que, por trás do seu atendimento, há uma figura muito importante fazendo tudo rodar. Por outro lado, quem vive o dia a dia em uma instituição do setor sabe que é impossível falar na administração de clínicas hospitais sem mencionar o trabalho e os desafios de um gestor de saúde. E essa não é uma tarefa fácil. Isso porque, em meio à dedicação para alcançar resultados e metas, um gestor deve estar atento ao gerenciamento de gastos, o andamento da equipe e a comunicação entre todos os profissionais.

O papel da gestão dentro do setor de saúde é fazer com que todo o processo funcione de forma eficaz e completa. Isso pode ser aplicado em diversas vertentes e assumir novas aplicações de acordo com a área de atuação do profissional. Dentro de uma instituição o gestor precisa assegurar que todos os colaboradores sejam competentes e que os equipamentos estejam funcionando. A atenção ao paciente também merece destaque, sendo necessário aplicar normas de humanização. Tudo isso, sem deixar de lado questões financeiras. Outra opção de trabalho para gestores é a colocação no desenvolvimento de pesquisas. Aqui ele pode supervisionar projetos de universidades ou do governo, liderando todos os recursos. Já aqueles que optam por desempenhar a função de consultor de saúde, devem ter um conhecimento sólido nas áreas administrativas e estratégicas. Assim, eles poderão auxiliar as instituições a identificar problemas e crescer.

Sobretudo nos últimos anos, período em que todos os setores foram marcados pela tecnologia, inclusive a saúde, é preciso se atentar ao que instituições de referência estão utilizando em termos de softwares, plataformas de comunicação e armazenamento digital, por exemplo. A princípio, a assimilação de dispositivos que otimizam o trabalho pode parecer apenas um a mais, mas a verdade é que compreendê-los significa estar preocupado com a satisfação dos pacientes. Na mão de gestores funcionais, ferramentas high-tech têm tudo para facilitar a vida não só de quem é atendido, mas dos seus colaboradores.

Feiras de saúde, nesse sentido, podem funcionar como verdadeiras vitrines do que acontece a nível nacional e internacional. Além de ter contato com demais lideranças do meio, geralmente, são apresentados os produtos mais inovadores e tecnológicos do momento. A Feira Hospitalar e o Healthcare Innovation Show são ótimos exemplos do que acompanhar para se inspirar… e, quem sabe, fazer grandes negócios.

Outro grande desafio para os gestores atuais é, sem dúvidas, enxergar sua instituição de saúde para além da relação paciente/médico. Afinal, falar de laboratórios, clínicas e hospitais é muito mais que pensarmos apenas em assistência, mas algo que também envolve concorrências acirradas. Cada vez mais, o setor de saúde tem se mostrado competitivo, com organizações que investem pesado na qualidade do atendimento e tecnologias que aumentem a eficiência do trabalho. Sair na frente, assim, é entender quais as expectativas do paciente em relação ao serviço e não tem medo de mudar quando for o que o cenário requer. No entanto, antes de oferecer a melhor experiência, estude o que as melhores instituições estão fazendo.

Se há uma característica que une organizações bem-sucedidas, ela é a comunicação eficaz entre líderes e seus colaboradores. E quando falamos isso, estamos nos referindo a gestores que, optando pela transparência, buscam entender o fluxo de comunicação institucional, além de sua especificidade dependendo dos setores. O desafio, portanto, gira em torno da compreensão dos níveis de conhecimento de cada área organizacional, quais são os anseios de cada profissional e o que eles desejam saber. Neste momento, é fundamental que o gestor descentralize a comunicação, enxergando-a mais como compartilhamento que mera passagem de informações.

Todas essas características fazem parte do gestor híbrido, que exercem tanto papéis na área clínica quanto na área administrativa. Como resultado, essa categoria de gestor é mais efetiva em conciliar as necessidades profissionais com os requisitos gerenciais, delimitam limites práticos e disciplinares, constroem relacionamentos e difundem conhecimento e, por fim, aumentam a credibilidade e legitimidade com todos os envolvidos. No entanto, a falta de treinamento gerencial e a dificuldade de combinar a prática clínica com a gestão são dificultadores desse perfil profissional.

Portanto, estes são apenas exemplos, mas poderíamos citar muitos outros desafios do gestor de saúde contemporâneo. E você, que dificuldades costuma encontrar no dia a dia da sua instituição de saúde? Conte nos comentários!

Fontes:

BRESNEN, Mike; HODGSON, Damian; BAILEY, Simon; HASSARD, John; HYDE,

Paula. Hybrid managers, career narratives and identity work: A contextual

analysis of UK healthcare organizations. Human Relations, vol. 72(8), p.

1341-1368, ago/2019. DOI: 10.1177/0018726718807280.

https://cmtecnologia.com.br/blog/o-que-e-gestao-em-saude/

https://cmtecnologia.com.br/blog/desafios-do-gestor-de-saude/